Anúncios
Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

O Vértice Autêntico é Esse.

Apoderam-se do que é legítimo na Natureza e impõem suas misuras mal-feitas aos homens; assim se você gosta do arco-íris rotulam-no como sendo de algum grupo, se você dispõe o encontro ortogonal num estudo, rotulam-no como adepto de algum troço. Não é assim; a Natureza outorga-nos a liberdade e a competência de refletir e dispor a realidade com salutar instrução.

Crenças e religiões usurpam tudo. Precisamos nos livrar desses enganos e arremêdos de verdade, que não têm préstimo algum, nem para a Sociedade nem para o ser humano pessoalmente.

Toro Nuclear e Núcleo de Hidrogênio.

O labor esforçado e a Arte congratulam-se com a Ciência.

(click para ampliar)

 

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Olá, mundo!

Welcome to WordPress.com. This is your first post. Edit or delete it and start blogging!

Publicado em Sem categoria | 2 Comentários

O Valor e a Importância da Femina na Transmissão do Porte Neuro-Conceitual da Espécie Humana.

Postado por Shere W.

O texto é do Pensador do Século XXI; o ser humano que prospectou a Lógica Espacial (Postado  com autorização e em contribuição com este espaço, em homenagem e gratidão aos admiráveis cidadãos sem-crenças que dão os tons de humanidade sadia em nossa Sociedade):

A Transmissão do Porte da Consciência —
A Importância da Femina :::::::
Qualquer que seja a espécie de vida, houve a sua
primeira forma.  Então, pensando sobre o ser humano, cabe perguntar:
Quando (em que momento) desde a primeiríssima forma de existência biológica até a que originou o espécime humano atual, em que escala da tipificação da forma que evoluiu até à específica categoria humana — que possivelmente terá sido um ser hermafrodita (e não um ser homossexual) — apresentou-se a dualidade sexual? (vindo a constituir a Natureza duas formas do mesmo ser)?  Ou seja: A receptora (a forma feminina) e o reposicionador (a forma masculina).
Com certeza, desde aí, uns dessa espécie terão aberto o privilégio desse modo de existir. E então, por ação do ambiente, adquiriram também características condizentes com a exigência da necessidade que o âmbito lhes impunha.
— Assim, muito, muito depois, já mais pra perto, ali depois dos primatas, itens como altura, expressão da fala ( qualidade fonética, padrão fonético), cor, tornaram-se na Terra expressões de uma espécie, e expressaram-se em raças e tipos —
Porque tudo implica na conformação duma forma: a temperatura, luminosidade, umidade, a inclinação magnética sobre as coordenadas geográficas (esta, talvez sequer se cogitasse), a variância da gravidade (idem); tudo implica para haver lá o veneziano, ali o paraense, acolá o australiano, e mais p’ra lá o chinês. Tudo é lindo, às vezes esquisito, e muito contrastante. Tudo inspira, tudo induz, e mostra as linhas conceituais do processo evolutivo na Natureza.
As formas da criatividade da Natureza reservam em si os segredos de sua continuidade.  Desde lá, dos primeiros seres, as impressões permanecem nos (e adaptam os) genes.
MAS … UMA OUTRA é a maneira de o ser, com porte da consciência, passar a mentalidade, passar o aporte da consciência. E é extraordinária.
No ápice da evolução duma forma, quando ela atinge o auge de ver-se a si mesma (a consciência-reflexiva); aí é que a dualidade funcional da separação em duas formas dum ser de uma espécie se configura em algo de esplêndida beleza funcional; por que envolto nisso se apresenta também a versão dos fenômenos constituintes do movimento mais rudimentar ( das formas puntuais nucleares), que é: O Sentimento, ou, as multíplices nuances de sentimentos que acompanham e são inerentes ao ser consciente como suporte à sua complexa e maravilhosa constituição.
— Na natureza nuclear o “sentimento”/(nomeado epistemologicamente como influência é o poder indutor respectivo ao teor dos hífens-energia; que provoca respostas que têm entre si par a par
É algo tão maravilhoso e magistral quanto existir duas formas de mesma espécie que se procuram (para atar-se). Por quê? No período de gestação do ser consciente não só o edifício físico é feito, mas o psíquico também. Durante a formação da engenharia pensante, uma mente serve suas impressões para que outra nasça. Serve, compartilha, e depois separa. É a femina que transmite o psiquismo da espécie. Por um dado momento sua mentalidade e a do filho é uma só, até que formada, a mente do filho passa a ter suas próprias impressões; mas antes, quando o arcabouço está sendo feito, é a mente da femina que passa as impressões psíquicas (o abstrato, as instruções dos “sentimentos” em preceptores neuronais) que vão constituir a mente que vai continuar. É a preservação da mentalidade da espécie. Todos somos preparados assim. E a preservação da matriz de entendimento de nossa espécie está aí ( por isso o menino entende matemática, e a menina lê códigos, tão bem quanto o que está envergado de diplomas); como também a qualidade, o teor psíquico, a performance adquirida em todo o contexto que a femina está inserida também.
— É certo que atenções singulares para dadas informações podem gerar um talento no filho, como é certo também que a emoção, a impressão emotiva, comanda isso —
Muito bem. A responsabilidade de cada um com o que é somado socialmente dá a todos nós uma postura de auto-juízes; e faz com que possamos ter perspectiva de futuro promissor ou não. Portanto, a qualidade da delicada e acentuada representatividade da femina exige de nós imensa responsabilidade sobre o que as induz numa geração. Se forem insólitas, insossas, dessaboridas, cegadas, manobradas, tudo só nos trará um desenlace triste, sofrível e regressivo. Mulheres não são para uso. São para amor.
Voltando lá, ao início que começamos, sobre a bi-partição da forma: até a inferência cognitiva dos sábios elaborou um modelo sobre esse assunto. É onde os aborígenes (com suas lendas), os orientais, e provavelmente todos rumores e figuras literárias dos povos, todos concordam:
E é sobre a questão de a femina portar a provisão, o suporte psíquico a ser transmitido que todos os líderes se embaraçam sem saber explicar a origem de suas normas sociais de procriação. Contudo, caberia lembrar que, muitas vezes independe das imposições sociais as viabilidades da Natureza, porque as qualidades conceituais dum brasileiro, ou chinês, ou grego, podem surgir onde não se espera, assim como também um filho pode ser a expressa aprovação de uma norma familiar ou não. Quando a evolução está agindo quase ninguém sabe. Ainda mais se um da espécie é a pedra do estilingue.
Mas algo nisso tudo muito inquieta, é o teor das impressões generalizadas socialmente. Correndo daqui para ali muitos, quase todos, sequer imaginam que suas vaidades e ansiedades, mediocridades ou soberbas, estão significando um sim ou um não para que a Natureza sentencie suas pressuposições.  A Natureza tem seus caprichos (aquilo que em linhas banais nos é incompreensível).
Vejam só.  Quem será que pôde imaginar que seria propício essa competência da Natureza de separar um ser em duas formas (macho e fêmea), que isso iria incorrer em um suporte para a consciência? Isto é, para quando a evolução atingisse o estágio de consciência? Porque essa instância de o homem e a mulher se procurarem para atar-se gera um estado nomeado AMOR, que é um princípio saborizante da vida consciente.
Haddammann Veron Sinn-Klyss”
Prestação de serviço civil feita por Shere W. — doc. recuperado nos arquivos do CMI-Brasil; revisado outra vez hoje, pelo autor . ::::::::

Postei o comentário a seguir num espaço cético que retirou (dispensou?/censurou?/Esnobou?) a postagem do texto acima lá em seus arquivos:
A cara com os fiéis-em-crença num pulo vestem outra fuça é de pasmar; não precisam pensar em nada, basta um caquético grunhir, ou um pastuto flatular e eles se tornam adeptos de qualquer coisa; mudam de cara fácil.  Agora, lamentável é o quanto os encarquilhados falidos encostados nas crenças têm completa regalia nos blogs e sites dos sem-crenças, enquanto os ateus não querem mesmo saber também de nada, a não ser ficar marretando conversa à toa com fiés-em-crença que caçoam, vociferam, empesteiam os comentários, que “mudam de repente pra continuar igual”. Qualquer um sabe que até hoje, mesmo agora, neste início de século XXI , um cientista, pesquisador, estudioso, tinha que, e ainda tem, e é obrigado a, abrir ‘concessões’ se quiser ver seu trabalho publicado sem perseguições.  Por que os ateus deixam os caras mentirem à vontade, sem limite algum? E riem, se esbaldam, como escrachados invasores-poluidores de ambientes sadios.
Outra coisa: Essa “abertura” que estão vendo aí da crença se fazer de maleável se chegando à Ciência não passa de uma tentativa de “absorção” do que consideram “inimigo”. o que dá raiva é que a diplomática postura e tato sócio-político constante na obra O ESPAÇO e a Procedência do Movimento (livro tomado à força por perseguição violenta ao Pensador-autor Haddammann)  tá aí toda torcida para dar continuidade à pulhice religiosa, ao invés de estar sendo um estágio para a evolução de nossa espécie.
Mafiosos teo-pulhíticos (com seu séquito de dissimuladores e lacaios) estão em posse da obra e estão manipulando a mídia com o que foi escrito com esforço, dificuldade durante anos a fio, e apresentado em 1985. Os usupadores estão atrasados, fora do tempo, e mal-intencionados. Nada do que dizem presta. São faltos de hombridade, e não têm o suporte de autenticidade sobre o primor dos conceitos.
E os ateus? Não querem saber. Seis anos seguidos é postado nos blogs e sites ateus, denúncias e mais denúncias, informações e mais informações (que só servem para os “espertos” correrem em cima e usurparem porcamente e enriquecerem ainda com os esforços de outrens); e nunca foi feita uma só pergunta (ou talvez uma apenas de um dissimulado) sobre a tácita colocação conceitual do que é  exposto; a saber, por exemplo:  No texto A Importância da Femina (recuperado em arquivos na Internet) mostra-se bem nitido que não evoluímos de um ser de um só sexo, mas um hermafrodita (tipo cavalo-marinho, ou como aquele personagem do filme  “Inimigo Meu”, e não um ser homossexual), totalmente pautado em evidências conceituais; isso arrebenta qualquer crença hoje aí ladrando e roubando informações sadias dos estudiosos autênticos. Tem sim uma posição do homossexualismo na Natureza, mas se quiserem saber vão ter que pagar para saber, pois estudo não é bíblia, nem cigarro, nem cachaça ruim, nem pornografia, que se dá na “maior camaradagem”.  Informação bem abalizada tem custo, muito custo; pois ela não faz “milagre” não, ela faz efeito comprovadamente útil ao ser humano.

Iremos em frente, com sucesso.

Publicado em Health and wellness | Deixe um comentário

O Princípio Mais Simples de Todo o Âmbito-ESPAÇO-Universo.

O Princípio mais simples de toda a extensão espacial do Universo é …
O Princípio Separação-Ajuntamento.
Esse Princípio faz a expressiva Diversidade Espacial;
composta pelo Nada e os pontos-existência.
E esse Princípio é o teor inerente da impulsão recíproca dos pontos-existência;
que se efetiva versado como reciprocidade na Atração-Expulsão.
Se há sublime na beleza da Natureza, se há poesia, esse é o Princípio Primacial, compositor, estabelecedor, e motor. 

Publicado em Livros | Deixe um comentário

A Terra é como um Átomo … de Água

Estou dizendo … como “átomo” (não como “molécula”) … figura de linguagem, portanto. 

A água faz o seu sangue, a água faz a atmosfera … e a água tem uma ressonância … uma frequência que ressona … a consciência disso dá entusiasmo … e cuidado …

Publicado em Entretenimento | 1 Comentário

Acabaram com o Sublime (Com o Êxtase Natural da Vida)

Acabaram com o Sublime
(Transformaram os rebanhos ovinos e bovinos em suínos)
O problema todo é um só: As verdades das crenças foram criadas por mentirosos.
Conceitos prospectados por pensadores profundamente empenhados com a vida humana foram sequestrados e deturpados por elementos só interessados em falcatruas e vantagens entre si.
Isso sucedeu nos dias em que nós começamos a nos organizar sistematicamente em Sociedade.
Os escopos simbólicos mais fundamentais comuns à mente individual/de cada um de nós como: anseios por serenidade, a idéia da mater (da geração), a esperança de nossa continuidade, etc; foram coligidos em um modelo coletivo.
Uma "esperteza" no entanto rápido viu que podia amealhar a ajuda subserviente de indivíduos condicionando-os à crenças que forjaram mentiras apoderando-se desses consensos psicológicos deturpando-os num formato para impor escravidão e empanar regalias a impostores.
Nesse tempo de nossa organização social rápido se viu que elementos tendentes à indolência eram facilmente dados à covardia por força de agrupamentos, e à hipocrisia por força de mentira(s).
Assim criou-se deus para ajuntar e fomentar manipulação de covardes e hipócritas, e criou-se o emblema maligno para tutelar os bípedes mamíferos com perfil de víboras.
Desde essa invenção ficou patente que dificilmente poderíamos esperar um modelo social em que o justo não pagasse pelo injusto; porque a Sociedade Humana tocou-se pelo bastão do roubo e assobio da mentira.
A usurpação estava implantada como se nós fôssemos todos submissos a esse engendramento, e que jamais nos soltaríamos disso.
Assim, uns produziam (tinham ímpeto de garantir o sustento e melhorias), outros ficavam à deriva e em espreita de tirar dos produtores, e eram e são protegidos pelos que recebem e repartem os roubos fingindo proteger os que são roubados. 
Então, uma corja que não faz nada esbanja-se em regalias, e dá força para que haja proliferação de covardia, mesquinhez e amedrontameto.
É preciso mentiras absurdas impostas violentamente e sucessivamente para que as pessoas produtoras pouco tenham refresco, e com mãos, pés, cabeça e sexo atormentados, rápido se vejam desesperadas e esmoreçam, e esse reino vil permaneça escorado em enganos alastrados e multiplicados sem parar.
Então se repete que a vida não é feita de ilusão, e as pessoas passam a assentir e imaginar que ao ver essa desgraça aprenderam a viver, e que a vida de todos terá sempre esse feitio tenebroso.
Esse formato do Sistema que agora está totalmente falido enfeiou mais e mais as pessoas por séculos, e ao invés de estarmos gozando de uma beleza evolutiva, andamos como os piores seres da Natureza; porque nenhum animal desprotegido nas intempéries e causalidades da Natureza consegue ficar tão feio quanto nós, com tudo que ainda ousamos nos gabar de ser.
Estamos em dias em que mesmo aos trancos e barrancos conseguimos por intrepidez de alguns uma mentalidade com valores um pouco melhores devido a alguma cara e adquirida consciência.
Não precisamaos de crescentes mutidões descabeçadas, não precismos de pobreza, de jeito nenhum; se há serviço difícil de fazer que se pague recompensadamente por ele, ao invés de atulhar vagabundos de riquezas.
Há políticos, pague-se bem; há professores, pague-se bem; há carvoeiros, pague-se bem.  Há cidades sujas, limpe-se ao invés de sentar em bancos para escutar besteiras idiotizantes.
Já pensaram que já chegamos a um avançado futuro, e que há robôs que logo vão fazer os mais diversos serviços?  O que faremos se continuarmos a aumentar o número de pessoas sem condições de vida razoável?  O que nos farão aceitar fazer com essas pessoas?  As crenças nos brindarão com um belíssimo e glorioso genocídio? 
Se você mete o pau na Ciência, então de uma vez por todas, faça um teste pessoal se tem caráter para fazer:
Não use tesoura, não use pasta de dente, não use pente, não use papel higiênico, não use água potável, não use eletricidade, não use fogão, não durma em casa, não use chuveiro …
Depois de algum tempo peça para alguém desenhar você, com suas unhas, seus cabelos, etc.  Você pode até ficar mais robusto consoante à Natureza, mas verá que não é o que a empáfia das crenças dizem.  E só assim você aprenderá que só a estupidez faz com que você não saiba fazer o que a Ciência nos deu até aqui fazer muito mais por você.
Porque meu caro ser humano, a Ciência é todo nosso legado desde nossos ancestrais até aqui, e ela não é papel, nem é história, ela é você.
Quando olhar pra o seu amigo, pra sua amiga, pro seu filho, pra sua mãe, pra sua professora, pense em tudo isso.
Haddammann Veron Sinn-Klyss
Sexta-feira, 03 de setembro de 2010.
20:32 h
Publicado em Health and wellness | Deixe um comentário